quinta-feira, 16 de agosto de 2007

Kichute

Se você tem entre 30 e 35 anos e estava em idade escolar entre 1975 e 1982, certamente usou um Kichute. O calçado, que era a solução mais barata e inteligente para os pais na hora de escolher o que os meninos usariam na escola, caiu no ostracismo no final da década de 90, perdeu boa parte de seu público, mas nunca perdeu o charme.
O Kichute foi criado pela Alpargatas em 1970. A empresa queria um calçado para aproveitar a paixão futebolística que assolava o Brasil por conta do Bicampeonato Mundial de 1962. Em 15 de junho de 1970, durante a Copa do Mundo do México o Kichute foi lançado e não poderia ter sido em melhor hora. A seleção brasileira de futebol jogava por música e o Kichute vendia como água. O calçado, a princípio criado para atender as classes C e D, era barato e muito, mas muito resistente. Além da praticidade, o Kichute era feito de lona e tinha cravos que imitavam uma chuteira de verdade.
A partir daí o Kichute passaria a estar intimamente ligado ao futebol, para sua alegria e posterior desgraça. O empresário Ricardo Trancoso, hoje dono de uma loja de material esportivo em Campos, foi um dos que usaram o Kichute na infância, mas hoje afirma que o bom e velho calçado não teria vez perto dos tênis esportivos que dão muito mais conforto para o usuário. "As marcas estão muito modernas e ninguém quer usar um Kichute, além de ser desconfortável perto dos calçados de hoje não tem o mesmo apelo que as novas marcas têm, o conceito de durabilidade que o calçado oferecia hoje não faz mais sentido", conta.
Foi justamente uma concorrência desleal que derrubou as vendas do Kichute e o transformou em peça de museu. Por estar diretamente ligado ao futebol, os pais preferiam comprar um calçado que pudesse durar, já que na hora do recreio a brincadeira predileta era chutar de bola de couro a latas de leite, o negocio era chutar alguma coisa. O problema é que com as derrotas da Seleção Brasileira de Futebol em 1982, 1986 e 1990, a história de chutar alguma coisa foi ficando sem graça e as vendas do Kichute caíram com o futebol do Brasil.
O calçado que chegou a vender em 1978, quase 98 milhões de pares, o que dá a impressionante marca de 10% da população do Brasil na época, não vendeu nem 10 milhões de pares em todo o país. Quando o Brasil voltou a ganhar uma Copa do Mundo os tênis esportivos já haviam escrito o epitáfio do Kichute. "A performance dos esportivos é muito melhor do que a do Kichute e para quem usava o calçado o dia inteiro era meio desconfortável, alem de causar um chulé insuportável", conta o segurança Cléber Aguiar que pediu o calçado aos seus pais, pois era o que havia de mais parecido com a chuteira de um jogador de futebol.
Hoje o Kichute não vende 200 mil pares por ano e a Alpargatas, embora tenha planos de relançar a marca, ainda não o fez. Com uma campanha de mídia perto do zero nenhuma loja de calçados se interessou pelo Kichute. "Eu acho arriscado, pois o Kichute, perto dos calçados de hoje, não funcionaria, eu não o colocaria à venda, a menos que o modelo fosse atualizado, a marca é muito forte, mas o modelo está ultrapassado", ponderou Trancoso.
Resgate - Em 2002 o estilista Alexandre Herchcovitch colocou seus modelos desfilando com Kichutes no São Paulo Fashion Week daquele ano. Segundo Herchcovitch, O Kichute foi revisitado e apareceu "moderninho", com estampas e tecidos da própria grife. Foi o último suspiro do Kichute e a sua última aparição em público. Se hoje os pais gastam um tênis a cada semestre, para os filhos que querem ser iguais ao Ronaldinho Gaúcho, só resta lamentar a falta que um Kichute faz.


O kichute e seus laços

Com certeza um dos maiores charmes do Kichute era a forma de se amarrar o cadarço. Nada dos nós mirabolantes que hoje estampam os All Stars, as formas de se amarrar o Kichute eram mais simples. Ou se amarrava o Kichute por baixo, com os cadarços passando por baixo do tênis ou amarravam os cadarços na canela. Conta a lenda que quem amarrava o cadarço por baixo eram os meninos que jogavam bola. E quem amarrava na canela não era muito bom com a bola nos pés. Como o Kichute possuía cravos de borracha maciça, altos, que imitavam os cravos de uma chuteira, passar o cadarço por baixo do calçado não trazia problema algum.
Para matar as saudades do Kichute, acesse o site http://www.kichute.com.br/ , mantido pela Alpargatas traz todas as informações sobre a marca, e até maneiras diferentes de se amarrar o cadarço.



Assista aqui o comercial do Kichute

24 comentários:

cintia sibucs disse...

hehehehe! olha ele aí!
showzinho, neah?!
eu sempre quis ter um, mas minha mãe não me dava... tsc!
o site tá super legal e ensina todas as formas de amarrar, igual antigamente.

bjaum!
~cin~

Anônimo disse...

olá pessoal! ando c/ mta saudade do bom e velho kichute... alguém sabe onde consigo comprar kichute n° 40?? sou de SP + se mandarem por correio... qq novidade me mandem e-mail, por favor.t+ e obrigado Paulo
proflor@uol.com.br

Anônimo disse...

Vc encontr kichute nas lojas Megashop, da alpargatas (shoping SPMarket tem) mas é o modelo recente.

Anônimo disse...

qual guri que não teve um kichute?o jeito mais legal de amarrarr, era dar voltas nas canelas e dar tope!!!o cadarço era grande, usei vários , era louco pelo tênis da alpargatas!! q saudades!!

Anônimo disse...

qual guri que não teve um kichute?o jeito mais legal de amarrarr, era dar voltas nas canelas e dar tope!!!o cadarço era grande, usei vários , era louco pelo tênis da alpargatas!! q saudades!!

Anônimo disse...

qual guri que não teve um kichute?o jeito mais legal de amarrarr, era dar voltas nas canelas e dar tope!!!o cadarço era grande, usei vários , era louco pelo tênis da alpargatas!! q saudades!!

Anônimo disse...

tem razão, o kichute era muito usado nos anos 70, o chato era ter de lavar seguidamente,ehehehehe!!e também amarrava na canela!!!!

Anônimo disse...

que saudade!!! sempre usei kichute na infancia ; pois era o mais em conta na época. como a situaçâo nâo era lá essas coisas , ele encaixava no perfil da galera mais humilde. que bom que ele existe até hoje!!!vou mostrar ou qem sabe até comprar pra eles. abraço!

Anônimo disse...

pra eles quis dizer meus filhos.blz?

Anônimo disse...

""E quem amarrava na canela não era muito bom com a bola nos pés""

hahah que mentira, eu amarrava assim e jogava muita bola!!!

Anônimo disse...

ola pessoal tenho saudade do meu tempo de menino quando usava kichute se eu encontrasse p/ comprar compraria para meu filho...

magno l c silva disse...

o mais legal foi o kichute, a gente era doido pra ter um, meu pai conseguiu comprar muito tempo depois no natal e a gente amarrava o cadarço na canela crente que tava abafando... era aquela alegria.

Lauro disse...

Há cerca de 5 anos atrás, passando por um brechó, vi um kichute n° 42, do modelo antigo, original, novinho, sem uso, uma maravilha.
Não tive dúvuda, comprei pensando em mostrar aos meus filhos, que falaram "pai, que coisa mais ridícula você usava".
Uma vez fui à um jogo society, quando o calcei foi a maior empolgação, teve um cara que me ofereceu r$200,00, claro que não vendí. Não tenho mania de colecionar nada, mas o meu kichute eu não vendo, de vez em quando uso só em casa.
Cada maluco com sua mania.

SERGIO VAZ disse...

POIS É PESSOAL, EU SOU UM FELIZARDO QUE ENCONTREI UM AQUI EM CURITIBA.
IMAGINEM, EM 2010 ENCONTRAR UM KICHUTE, É PACABÁ.
COMPREI PRO MEU FILHO DE 7 ANOS, ESPERO QUE ELE GOSTE

Jefferson Damian disse...

É o Kichute não era só mania ele também durava muito, a sola acabava e por cima ainda estava novo.
Tenho muita saudade do Kichute.

hugo disse...

eu ia ganhar um kichute novo quando o meu estragasse, isso nunca aconteceu rsrsrs
galerinha vai a dica pra quem quizer comprar um, depois de muito tempo achei
http://produto.mercadolivre.com.br/MLB-199045543-ki-chute-pague-pau-com-seus-amigos-_JM

Ceir disse...

O meu kichute eu amarrava na canela quando era novo, depois que o cadaço arrebentou eu passei a amarrar normal porque o cadaço não dava mais tamanho!

Anônimo disse...

poxa come é difícil de achar :(
alguém não sabe onde mais se acha?
pois os do ML me parece que já acabaram, e meu marido quer um 43!

carlos disse...

saudades, se voltasse ao comércio seria um sucesso, e eu seria o primeiro a comprar

marcelo B disse...

Eu tenho uma foto minha usando kichute

guilherme stevanato disse...

Eu usei muito kichute na minha infancia eu gostava de pegar ele quando novo colocava ele na agua sanitaria e deixava de molho ai ele ficava branco eu gostava dele asim

guilherme stevanato disse...

Eu usei muito kichute na minha infancia eu gostava de pegar ele quando novo colocava ele na agua sanitaria e deixava de molho ai ele ficava branco eu gostava dele asim

Francisco Carlos disse...

Q pena, não consegui ver o vídeo do comercial do kichute...... está privado....

Michel Teixeira disse...

Outubro de 2015, já não tem nem site nem propaganda.. nem nada.. queria um kuchute.. se alguém quiser me dar aceito contato: emstweb@hotmail.com